Fado no Porto em 2023: Os Lugares Imperdíveis e Guia Completo

Neste guia não só vais encontrar uma dica rápida com os melhores lugares para ouvir fado no Porto, mas também vais poder conhecer a fundo a cena do fado nesta cidade sob a perspetiva de um músico.

fado porto

Há muitos lugares para ouvir fado no Porto. A música até pode ser a mesma, mas a qualidade e o tipo de experiência podem ser muito diferentes!

Por isso, e principalmente se não está nos teus planos ir a mais do que um sítio, aconselho-te a dedicares alguns minutos a este assunto para encontrares a melhor experiência de fado para ti.

Este artigo está dividido em duas partes:

1. Uma lista com os melhores lugares para ouvir fado no Porto, para quem procura uma dica rápida;

2. Um guia completo, para quem quer conhecer a fundo a temática do fado e a realidade da cidade do Porto, com todos os lugares e tipos de experiência.

Os melhores lugares para ouvir fado no Porto

A maior parte dos lugares com artistas profissionais oferece uma boa experiência. Mas quando o assunto são os melhores sítios para ouvir fado no Porto, existem cinco que se destacam:

  1. Ideal Clube de Fado
  2. Fado na Baixa
  3. A Casa do Fado
  4. O Fado
  5. Fado Português

1. Ideal Clube de Fado

fado porto - Ideal Clube de Fado

Recomendado para

Quem quer ouvir fado autêntico num concerto intimista

Tipo de experiência

Concerto de fado (sem comida)

Horário

Todos os dias ao fim da tarde e à noite (consulta aqui a agenda)

Duração

1 hora (+15 minutos se assistires à tertúlia antes do concerto)

Preço

20€ (estudantes 15€), com oferta de um copo de vinho do porto.

Bilhetes

Compra aqui bilhetes com 5% de desconto

Localização

Sabe mais

O Ideal Clube de Fado é um dos melhores lugares para ouvir fado em Portugal e, na minha opinião, o melhor lugar do Porto. Tem por base um projeto com o objetivo de disseminar e preservar a tradição mais autêntica do fado clássico.

Não se trata de um negócio de comidas ou bebidas com fado ao vivo, mas sim de um local dedicado a esta arte, onde durante os concertos o mais importante é a música, o silêncio e a emoção do fado.

O Ideal Clube de Fado foi pensado para proporcionar uma experiência intimista, onde o público sente os artistas e os artistas sentem o público.

fado porto - ideal clube de fado

É o único local em Portugal onde vais ouvir exclusivamente o que se chama de “fado tradicional”, o fado no seu estado mais puro. Sabe mais sobre estilos nos concertos de fado.

Este conceito rompe com a norma instituída há várias décadas de incluir nos espetáculos de fado outro tipo de repertório – as marchas, o folclore, as covers como Casa Portuguesa e Barco Negro – e variações do estilo original como o “fado-canção”, que são músicas mais fáceis de consumir pelas massas.

Para além disso, e não menos importante, tem no seu elenco alguns dos nomes mais experientes e respeitados do fado no Porto.

Vais ouvir dois fadistas (uma voz masculina e outra feminina), e não um, como é normal nos concertos de fado, e os guitarristas também tocam instrumentais onde vais poder apreciar o som único da guitarra portuguesa.

Se quiseres saber mais sobre fado, 15 minutos antes da hora de início do concerto, há sempre uma conversa com um dos músicos. É uma boa oportunidade para aprender sobre este estilo.

Para garantires lugar no Ideal Clube de Fado aconselho-te a adquirir bilhetes com antecedência.

Compra aqui bilhetes com 5% de desconto

2. Fado na Baixa

fado porto - fado na baixa

Recomendado para

Quem quer ver, integrado no espetáculo, um documentário sobre fado (traduzido com áudio-guia)

Tipo de experiência

Concerto de fado (sem comida)

Horário

Todos os dias às 18:00

Duração

1 hora

Preço

19€ (descontos para jovens e grupos) com oferta de um copo de vinho do porto.

Bilhetes

Compra aqui bilhetes ao melhor preço garantido

Localização

    Sabe mais

    O Fado na Baixa oferece um concerto num pequeno auditório onde a música ao vivo coexiste com um documentário (traduzido para espanhol, francês ou inglês com áudio-guias).

    Trata-se de uma experiência musical e didática e é o único evento regular no Porto onde a canção de Coimbra também é cantada.

    O concerto realiza-se num edifício perto da Ribeira do Porto onde as paredes de granito acolhem um pequeno e acolhedor auditório.

    fado porto - fado na baixa

    O espetáculo explora diferentes manifestações que o fado foi tendo ao longo da sua história e está dividido em cinco partes: Fado Tradicional, Guitarra Portuguesa, Canção de Coimbra, Amália Rodrigues e Atualidade.

    Cada uma delas começa com um excerto de um documentário em que ouvimos testemunhos de personalidades do fado que nos ajudam a entender melhor o que os artistas vão apresentar. Em cada parte interpretam-se dois temas.

    Aqui também terás a oportunidade de ouvir canção de Coimbra, conhecida como fado de Coimbra. Este estilo está associado ao estudantes universitários desta cidade e é muito distinto do fado que foi considerado Património Imaterial da Humanidade pela UNESCO.

    Compra aqui bilhetes ao melhor preço para o Fado na Baixa

    3. A Casa do Fado

    fado porto - a casa do fado

    Recomendado para

    Quem quem quer levar crianças ao concerto e tiver um orçamento limitado (grátis para menores de 12 anos)

    Tipo de experiência

    Concerto de fado (sem comida)

    Horário

    Todos os dias às 19:00

    Duração

    1 hora

    Preço

    17€ (grátis até aos 12 anos), com oferta de um copo de vinho do porto.

    Bilhetes

    Compra aqui bilhetes ao melhor preço

    Localização

    Sabe mais

    A Casa do Fado” propõe um concerto numa antiga cave da Ribeira com uma pequena explicação a meio do concerto.

    O local, uma cave antiga em granito com um pé direito baixo onde as mesas e as cadeiras são pipas adaptadas, é um sítio original para ouvir fado no Porto ao fim da tarde.

    fado porto - a casa do fado

    Antes de começar o concerto recebes um cálice de vinho do porto. Durante a atuação vai ouvir dez a doze fados e dois instrumentais. A meio há uma pausa para um dos músicos explicar a história do fado.

    Se a acústica desta cave é boa, o ar húmido e abafado (se tiver muita gente) e as escadas de difícil acesso são algo a considerar antes de ir.

    No entanto, se estás com crianças e o orçamento for uma questão importante, aproveita os bilhetes grátis para menores de 12 anos.

    Compra aqui bilhetes para A Casa do Fado ao melhor preço

    4. O Fado

    fado porto - O Fado

    Recomendado para

    Quem quer ouvir fado durante o jantar

    Tipo de experiência

    Fado e jantar

    Horário

    Segunda a sábado das 20:00 às 24:00

    Duração

    3 horas (vários momentos ao longo do jantar)

    Preço

    Preço médio por pessoa: 45€ (consumo mínimo de 40€)

    Reservas

    Clica aqui

    Localização

    Sobre

    Se a ideia de ouvir fado num concerto intimista não te atrai, tens sempre a opção de jantar numa casa de fado. Tratam-se de restaurantes típicos onde durante a noite vais poder ouvir pequenos momentos de fado (15 a 20 minutos) durante o jantar.

    O Fado, da família de Lopes de Almeida que conta com várias décadas de experiência na área, é o melhor lugar no Porto para ouvir fado e jantar.

    A razão para merecer este destaque, e sem querer diminuir a qualidade do elenco artístico, é a grande qualidade da confeção dos pratos tradicionais portugueses.

    fado porto - o fado

    É um negócio familiar com Manuela Almeida, a matriarca da família, na cozinha e com os filhos na gestão e atendimento aos clientes. Por isso, a consistência na qualidade do serviço e no trato aos clientes é bastante elevada.

    Sendo o lugar com fado e jantar mais concorrido da cidade, recomendo que faças uma reserva com a maior antecedência possível. Reservas no mesmo dia não costumam ser possíveis.

    Reserva a tua mesa para O Fado

    5. Fado Português

    Recomendado para

    Quem quer ouvir fado durante o jantar

    Tipo de experiência

    Fado e jantar

    Horário

    Todos os dias das 20:00 às 01:00

    Duração

    3 horas (vários momentos ao longo do jantar)

    Preço

    Preço médio por pessoa: 30€

    Reservas

    Clica aqui

    Localização

    Sobre

    O Fado Português, apesar de ser na cidade vizinha, em Vila Nova de Gaia, tem um acesso rápido de carro a partir do centro do Porto.

    Neste espaço simples e despretensioso não vais ver alguns luxos de outras casas de fado, mas certamente vais usufruir de um ambiente intimista e familiar, afastado do circuito turístico do Centro Histórico do Porto.

    A Sandra Correia, a dona do espaço, é uma das fadistas mais prestigiadas da cidade. Por isso, vais contar com uma boa direção artística de alguém que quer que os seus clientes tenham uma boa experiência musical.

    fado porto - fado portugues

    Apesar de não ser tão procurado como O Fado, aconselho sempre a fazer uma reserva antes de ir.

    Reserva a tua mesa para o Fado Português

    Se quiseres conhecer mais sítios de fado no Porto, explora aqui todos os lugares organizados por tipo de experiência.


    Guia completo

    Mais do que falar sobre o que é o fado e a sua história, quero dar-te dois tipos de informação: conhecimento para poderes apreciar melhor um concerto de fado (em qualquer lugar) e uma lista de todos os lugares com fado no Porto, organizada por categorias.

    Porquê ouvir fado ao vivo

    “E as pessoas dizem assim: Isto é o verdadeiro fado! (…) Mas é o verdadeiro fado, porque aquilo, ali… estou próximo do público. E o público é cúmplice.”

    Fernando Maurício, Fado Falado – Um Século de Fado

    Conheço muitas pessoas que dizem que não apreciam fado. Mas não conheço ninguém que tenha ouvido fado ao vivo num bom ambiente e com bons artistas que diga o mesmo!

    Porque é que isso acontece?

    Porque a audição é apenas uma parte da experiência de fado. O verdadeiro fado implica partilha e cumplicidade entre os artistas e o público.

    Quando assim o é, diz-se que “houve fado” ou que “o fado aconteceu”.

    Algumas casas de fado incluem nos seus panfletos e cartazes mensagens como “casa x – onde o fado acontece”. Com isto pretendem transmitir que, para além de podermos ouvir e ver fadistas e guitarristas, vamos experimentar a sintonia entre estes e o público e, tal como dizia Fernando Maurício, vamos ser cúmplices e, assim, viver o verdadeiro fado.

    Para além disso, quando estás perante bons fadistas e guitarristas és envolvido por uma sonoridade que vai direta ao teu coração e desperta emoções fortes que te transportam para uma viagem a um Portugal profundo e místico.

    Por isso, ouvir fado ao vivo é muito melhor do que ouvi-lo numa gravação. Mas isto, por si só, não é suficiente para se ter uma boa e autêntica experiência de fado.

    De que é feita uma boa experiência de fado

    Pela minha experiência enquanto músico, ouvinte e organizador de eventos de fado, considero que as características que mais contribuem para um bom espetáculo são as seguintes:

    Fado genuíno

    Neste vídeo de 1976, João Braga perguntou a Alfredo Marceneiro como via o futuro do fado em Portugal, ao que ele respondeu: “O futuro do fado é que eu ouço cantar, é canções e cançonetas…” E de seguida ainda se ouve alguém a dizer “umas merdas!”

    E posso dizer que Alfredo Marceneiro fez uma boa previsão porque hoje em dia, com exceção do Ideal Clube de Fado cujo projeto é dedicar-se exclusivamente ao fado tradicional, na maior parte dos espetáculos, não só no Porto mas em todo o país, vais ouvir uma mistura de fados, “canções e cançonetas”, marchas populares e folclore. Não são “umas merdas”, mas também não são fado!

    Quantas e quantas vezes eu estou aqui e, por exemplo, tenho que cantar porque está aí alguém que quer ouvir. Mas, de repente, oiço cantar a Casa Portuguesa, porque tem que ser, porque está aí muito estrangeiro que canta a Casa Portuguesa, cantar assim umas coisas muito leves e dizerem: Eh, fadista!, eu já não canto nesse dia. Já não canto, porque uma pessoa que está a dizer quando se canta a Casa Portuguesa ou quando se canta o Cheira a Lisboa ou quando se canta os Caracolitos e essas coisas, são coisas só para animar e quando ouço dizer Eh, fadista!, eu não canto porque vejo que a pessoa não percebe nada de fado.

    Essas cantigas não são fado?

    Não são fado. E se dizem: Eh, fadista!, não percebem. Para que é que eu vou depois cantar? Depois correm comigo, se aquilo é que é bonito, se aquilo é que é bom (não deixo de dizer que aquilo é bom e que é bonito) mas não é fado.

    Argentina Santos, Fado Falado – Um Século de Fado

    Eu sei que isto pode parecer estranho, mas existem várias razões para este fenómeno e prendem-se sobretudo com motivações comerciais e turísticas.

    Mas como isto já acontece há algumas décadas e até a própria Amália Rodrigues, que foi a figura mais popular do fado em Portugal, promovia este tipo de abordagem nos seus concertos, aconteceu um efeito de normalização com alguma desinformação pelo meio.

    Ou seja, estamos tão habituados a que o fadista cante esta mistura que nem questionamos o que é fado e o que não é, pois parte-se do princípio que tudo o que o fadista canta é fado.

    Para além disso, os meios de difusão musical também são alheios ao facto dos fadistas cantarem outros estilos. Por isso, rotulam como fado tudo o que estes cantam.

    Isto até deu azo a uma situação embaraçosa quando em 2020 Ricardo Ribeiro, um dos maiores fadistas da atualidade, viu o seu álbum nomeado pelos Prémios Play para melhor álbum de fado e pediu para retirá-lo da lista por considerar que não era de fado. Vê aqui a notícia.

    Se estiveres interessado em saber mais sobre esta questão, avança para a parte em que explico o repertório dos fadistas.

    Bons artistas

    Para que o fado aconteça é fundamental que exista uma forte conexão entre o público e os artistas, e para isso é necessário que os artistas tenham um conjunto de qualidades, sem as quais não se consegue transmitir fado.

    Por muito que se disser
    O Fado é canção bairrista
    Não é fadista quem quer
    Mas sim quem nasceu fadista

    Manuel Almeida

    Para ser um bom artista de fado, não basta ter boa voz e tocar bem. Os cantores e os guitarristas têm de dominar a linguagem e a estética específica deste estilo, que são muito distintas do pop, do jazz ou do lírico.

    fadista a cantar com dois guitarristas e alguém a fumar por trás

    Mas, tal como em qualquer estilo musical, o lado técnico também é importante. Quanto melhor for, mais recursos o artista tem para se expressar e comunicar com o público, pois de pouco adianta entregarem-se a 100% à música se cantam ou tocam mal.

    Lembro-me de uma vez estar a tocar no Janelas do Fado, em Matosinhos, quando um cliente pediu para cantar. Ele até parecia estar genuinamente a entregar-se profundamente à música e a querer comunicar, mas o resultado foi uma sala cheia pessoas a conter o riso… E assim não dá para o fado acontecer!

    Mas também é importante perceber que um bom fadista não precisa de corresponder ao estereótipo daquilo que a maior parte das pessoas considera um bom cantor.

    Alguns dos nomes mais respeitados entre a comunidade do fado, como Beatriz da Conceição, Alfredo Marceneiro e Rodrigo, entre outros, têm um estilo e uma forma de cantar que são extremamente respeitados no seu meio, mas que o público em geral não costuma dar o devido valor.

    Por outro lado, existem fadistas como a Mariza ou a Cuca Roseta que têm um sucesso tremendo com as massas, mas que não são especialmente apreciadas entre os grandes apreciadores de fado.

    Ouve, por exemplo, esta interpretação da Beatriz da Conceição (natural do Porto) do Fado Alfacinha:

    E ouve esta interpretação do mesmo fado, mas cantado pela Mariza:

    Acredito que a generalidade das pessoas prefira a forma de cantar da Mariza, mas a maior parte dos apreciadores de fado têm outras coisas em conta – originalidade, complexidade, profundidade, ritmo, intensidade da performance e domínio da linguagem – quando ouvem um fadista. Por isso preferem a Beatriz da Conceição.

    Para concluir esta reflexão sobre o que é ser bom fadista, vou citar Joel Pina, uma das mais importantes personalidades da história do fado:

    Eu sei que tenho fado dentro de mim, eu sei isso. Porque há muita gente por aí que não tem fado. Pode ter até muita intuição musical, mas não tem fado. O fado… há aqui um mistério que… Sobre o fado há diversas vozes. E umas vozes são mais profundas, vêm lá de dentro, que comunicam com a pessoa que transmite realmente essa mensagem que a pessoa pretende passar, e passa, e a outra pessoa sente-se arrepiada. Eu penso que isso é que é fado.

    Joel Pina (transcrito de “Joel Pina: O Professor“)

    Silêncio

    O silêncio é muito importante não só para quem está a atuar, mas também para quem está a ouvir.

    Boa experiencia de Fado

    Para os artistas, o silêncio do público é uma demonstração de respeito e de interesse, e isto leva-os a darem o seu melhor. Já o contrário incomoda e leva a que a performance seja fingida.

    “… se estiverem a fazer barulho, o nosso trabalho é despejar. Sim, é cantar, mas não é a sério…”

    Fernando Maurício, Fado Falado – Um Século de Fado

    Para o público o silêncio é fundamental porque, para além de usufruir de um melhor trabalho artístico, vai sentir a emoção dos artistas. Só assim é que é que é possível vivenciar o verdadeiro fado.

    Por isso existe a famosa expressão “Silêncio que se vai cantar o fado”.

    Voz de António Pedro Afonso

    Bom público

    Numa entrevista perguntaram a Vicente da Câmara se havia um ambiente próprio para cantar fado, ao que ele respondeu:

    Há, são as pessoas que estão. Há umas pessoas que acham que tem de ter luzes baixas e tem de ter coisas penduradas, balõezinhos, cartazes nas paredes e não-sei-quê. Isso, a mim, nunca me afetou (…) Preocupa-me, sim, as pessoas que estão. Essas é que fazem o bom ou mau ambiente.

    Vicente da Câmara, Fado Falado – Um Século de Fado

    Sobre este assunto, também Raul Nery disse o seguinte:

    O público que ouve o fado deve estar em sintonia total com os fadistas que o cantam ou o tocam. Só quando se consegue essa sintonia se pode dizer que estão criadas as condições necessárias para haver um verdadeiro ambiente de fado.

    Raul Nery, Fado Falado – Um Século de Fado

    Entre músicos quando se diz que “o público era bom”, significa que aconteceu a sintonia que Raul Nery fala. Quando isto acontece os artistas ficam verdadeiramente ligados à audiência e o resultado é uma excelente performance que, por sua vez, capta ainda mais a atenção e o sentimento do público.

    fado porto - espaco intimista
    Ideal Clube de Fado

    Argentina Santos sobre a importância de um bom público disse o seguinte:

    … aquilo (a vontade de cantar) tem de ser uma garra que me dá e tenho de olhar para as pessoas e tenho de ver: Gostam de fado. Se não gostam, não merece a pena.

    Argentina Santos, Fado Falado – Um Século de Fado

    Por isso, quando fores a um concerto de fado, dispõe-te a relaxar e dedica-te inteiramente à experiência. Olha para os cantores e para os guitarristas e não para o telemóvel. Ouve, sente e concentra-te na música.

    Desta forma vais criar o ambiente certo para que os artistas deem o seu melhor e te abram a porta para o fado e para o coração deles. No final de cada música não te inibas de dar feedback através de palmas calorosas para que os artistas percebam que estás a gostar!

    Se quiseres saber como te portar num espetáculo de fado, avança para a secção onde falo sobre a etiqueta.

    Espaço intimista

    Como o essencial desta música está na partilha entre os artistas e o público, os espaços intimistas e acolhedores, ao favorecem a proximidade e a cumplicidade, são mais propícios para se sentir o verdadeiro fado.

    sessão de fado intimista no Porto
    Casa da Mariquinhas

    A qualidade da experiência auditiva também é melhor se estivermos perto da voz e dos instrumentos.

    Sobre esta questão, Raul Nery, disse o seguinte:

    O fado, para ser bem cantado, precisa de um ambiente próprio. Aliás, algumas pessoas que dizem que não gostam de fado nunca o ouviram num ambiente adequado, porque não é numa sala de espetáculos que o fado pode ser melhor apreciado.

    Raul Nery, Fado Falado – Um Século de Fado

    Boa acústica (e sem microfones)

    Podes até estar perante ótimos artistas, em silêncio absoluto e num espaço intimista, mas se não sentir a vibração da voz e das guitarras no teu corpo ao mesmo tempo que ouves, não vai ser a mesma coisa.

    fado porto - a casa do fado
    A Casa do Fado

    O som deve ter intensidade, foco e detalhe. E isto sem microfones, porque assim vais sentir-te mais ligado aos fadistas e aos guitarristas e também porque as vibrações naturais contêm mais riqueza e autenticidade.

    Entender um concerto de fado

    Para que possas apreciar melhor um espetáculo de fado, é importante entenderes alguns dos elementos que o constituem:

    Repertório

    Em primeiro lugar, importa perceber que o fado não é, em si, uma música triste. Na sua forma mais autêntica – o Fado Tradicional – existem muitos fados para expressar emoções alegres. O fadista tem liberdade total para escolher os poemas que quer cantar e as temáticas (mas a maior parte dos fadistas gostam de cantar a tristeza do amor).

    Mas hoje em dia, na maior parte dos concertos de fado, exceto no Ideal Clube de Fado que se dedica exclusivamente ao Fado Tradicional, apresentam-se 5 estilos distintos:

      • Fado Tradicional
      • Fado-canção
      • Marchas
      • Folclore
      • Outras canções

    O Fado Tradicional é o fado no seu estado mais puro, a tradição mais autêntica do fado clássico. É uma música sem refrão e a mesma melodia pode ser cantada com diferentes poemas. É o estilo onde há mais liberdade para o improviso e interpretação.

    Exemplos: Fado Corrido, Fado Menor, Fado Alberto, Fado Bailado.

    O fado-canção é um estilo com refrão e a melodia é criada para um poema em específico. Como o próprio nome diz, há uma mistura estética entre fado e outras canções. As melodias mais conhecidas do fado são neste estilo.

    Exemplos: Ai Mouraria, Nem às Paredes Confesso, Vielas d’Alfama, Lágrima.

    A Marcha não é fado. É um estilo popular associado a festas de verão de santos populares. A música está dividida em duas partes: o desenvolvimento da música em modo menor e um refrão em modo maior.

    Exemplos: Lisboa Antiga, Marcha d’Alfama, De Rosa ao Peito (popularizada pela Mariza sob o nome Rosa ao Peito).

    O folclore também não é fado e engloba vários estilos tradicionais de Portugal. Podem ser adaptações ou podem ser criações com inspiração em folclore. São maioritariamente músicas festivas numa tonalidade maior.

    Exemplos: Fadinho Serrano, Bailarico Saloio, Fadinho da Ti Maria Benta, Sr. Vinho.

    Quando num concerto fores encorajado a bater palmas ao ritmo da música, provavelmente estarás a ouvir marcha ou folclore.

    Também existem outras canções que ganharam bastante popularidade, mas que, na minha opinião, não se podem enquadrar na categoria fado-canção porque ou estão demasiado afastadas da linguagem do fado ou a sua origem deu-se em contextos musicais alheios ao fado.

    Exemplos: Uma Casa Portuguesa*, Abril em Portugal (“Coimbra”), Chuva, Dia de Folga, Meu Amor de Longe, Barco Negro.

    Lê o meu artigo sobre estilos no fado se te interessar aprofundar este tema.

    *Não é engano. Esta música, apesar de ser cantada em quase todos os espetáculos (efeito de normalização acrítica) é uma sátira a um Portugal pobre e oprimido, foi escrita em África, num hotel cosmopolita de Moçambique, e nasceu de um episódio picaresco. Clica aqui para ler mais sobre este assunto.

    Instrumentos e dinâmica musical

    Normalmente vais ver três pessoas em palco: o fadista (voz), o guitarrista (guitarra portuguesa) e o violista (viola). Por vezes também se inclui um baixista.

    Neste conjunto há um instrumento com uma sonoridade distinta que se chama guitarra portuguesa. Tem 12 cordas duplas (6 ordens) de aço e descende da cítara europeia e da guitarra inglesa.

    O fadista tem como função cantar os poemas de forma a que a melodia e as dinâmicas musicais que imprime sejam o reflexo da mensagem que está a transmitir.

    Ao guitarrista cabe o papel de tocar as melodias iniciais, de apoiar a viola, de criar um diálogo musical com a voz e também de criar texturas e cores musicais.

    O violista marca o ritmo, faz os baixos e também define o caminho harmónico, num balanço específico do fado. É como se fosse o alicerce de toda a música.

    Quando existe um baixista este partilha a responsabilidade dos baixos com o violista.

    O fado vive sobretudo da improvisação e interpretação. Não há uma pauta oficial que se tenha de seguir. Uma boa interpretação respeita a identidade de um fado, mas ao mesmo tempo inclui elementos interpretativos originais.

    A estrutura musical de um fado costuma ter duas partes (A e B). Normalmente começa com uma pequena introdução instrumental relacionada com a parte B. Como é o guitarrista que toca a melodia, fica ao critério deste definir o que quer fazer. A introdução tanto pode ser uma mera forma de ajudar o fadista a entrar na música, como pode ser uma momento musical inspirador para todos.

    Como não é costume haver ensaios de grupo, a dinâmica criada entre os músicos é realizada no momento. E no fado há um jogo musical constante entre todos.

    O mais percetível é o diálogo melódico entre a voz e a guitarra portuguesa. Mas a viola também entra nesta interação de uma forma mais discreta com os baixos e com texturas harmónicas.

    Depois acontecem uma série de dinâmicas musicais ao nível da intensidade (crescendo, diminuendo, forte, piano, etc) que podem ser provocadas por todos, apesar de normalmente ser o fadista quem mais influencia.

    Existe também a suspensão, que consiste num momento, usualmente precedido de um rallentado, em que o acompanhamento pára e o fadista cria um momento expressivo em que canta à vontade.

    Por vezes, no meio do fado, existe um solo de guitarra portuguesa. O guitarrista tem liberdade para recriar a melodia da voz ou para improvisar uma melodia diferente.

    Também há o costume de se tocarem guitarradas nos espetáculos de fado. São composições para guitarra portuguesa, sem voz, e não precisam de estar enquadradas no estilo de fado.

    Etiqueta num espetáculo de fado

    Uma vez que uma das características de uma experiência de fado de qualidade é um bom público, vou ajudar-te a perceber como é que a tua postura num concerto de fado pode contribuir para um bom espetáculo.

    Silêncio

    O fado, apesar de ser uma música popular, deve ser ouvido em silêncio. Não é uma música para fazer ambiente ou para animar um convívio entre amigos.

    É preciso ter em conta que os artistas estão a fazer música em tempo real (não estão a reproduzir algo que ensaiaram inúmeras vezes) e estão inteiramente focados em comunicar com o público. Se as pessoas estiverem a conversar, para além de ser um forte fator de desconcentração, os artistas pensam que o público não quer ouvir, o que vai diminuir a qualidade da performance.

    Por outro lado, sendo uma experiência auditiva, esta perde qualidade se existirem outros sons para além da música. E se estiveres a conversar ao mesmo tempo que ouves não vai estar num estado de partilha e cumplicidade com os artistas, que é o principal do fado, e também vais incomodar quem quer ouvir em silêncio.

    Uso de telemóvel

    Para que haja silêncio é necessário desligar o telemóvel ou retirar o som e a vibração do mesmo. Usar o telemóvel para tirar fotografias ou para filmar é geralmente bem aceite, desde que as luzes e o flash estejam inativos. Mas cuidado para não incomodares as pessoas que estão atrás de ti com o ecrã do telemóvel.

    Bater palmas

    As palmas a seguir a cada música são permitidas e apreciadas pelos artistas. É uma das melhores formas de demonstrar que estás a apreciar a performance e dar esse feedback é importante para os artistas.

    No entanto, é desaconselhável acompanhar os fados com palmas porque estas atrapalham quem está a fazer o ritmo e faz com que os músicos tenham dificuldade em ouvirem-se uns aos outros. Isto aplica-se ao fado, mas nas marchas ou folclore é normal que peçam a tua colaboração.

    Cantar com o fadista

    A não ser que te peçam, o que pode acontecer com marchas, folclore e alguns temas de fado-canção mais populares, não deves cantar com o fadista, pois interfere com a sua interpretação.

    Tipos de experiência de fado no Porto (e todos os lugares)

    Atualmente podemos considerar que existem quatro tipos de experiência de fado no Porto:

    1. Concertos de fado

    Se quiseres ouvir fado no Porto, sem comida à mistura para desfrutar do espetáculo sem interferências e conhecer alguns dos melhores cantores e guitarristas da cidade, este é o tipo de experiência indicada para ti.

    concerto fado porto
    Ideal Clube de Fado

    Estes concertos começam entre as 18:00 e as 21:00 e têm uma duração média de 1 hora. Ao contrário de um jantar com fado onde o espetáculo é divido em várias pequenas partes ao longo da noite, nestes lugares assistes a um espetáculo sem interrupções ou com um pequeno intervalo a meio.

    O preço é fixo porque o acesso é feito mediante a compra de um bilhete. Este varia entre os 16€ e os 20€ e inclui a oferta de um cálice de vinho do porto. Podes compra à porta, mas aconselho a adquirir os bilhetes online para garantir o teu lugar, uma vez que este tipo de experiência é bastante procurada.

    Ao nível do espaço, ambiente e conteúdo do concerto cada sítio é único. Por isso, vale a pena perceberes o que cada um deles tem para oferecer.

    Existem quatro lugares com este tipo de experiência:

      1. Ideal Clube de Fado;
      2. Fado na Baixa;
      3. Casa da Guitarra;
      4. A Casa do Fado.

    (clica em cada um deles para saberes mais)

    2. Fado e Jantar

    No Porto há vários restaurantes que oferecem regularmente fado ao vivo durante o jantar. Contudo, importa distinguir entre restaurantes especializados em fado, conhecidos como casas de fado, e restaurantes convencionais que com alguma regularidade oferecem jantares com fado.

    Fado Português
    Casas de Fado

    Casa de fado não é, ao contrário do que se pensa, o nome que se dá a qualquer lugar com fado ao vivo. É, sim, um restaurante típico especializado em jantares com fado.

    Distingue-se de um restaurante normal porque todo o espaço e decoração são dedicados a esta temática e também porque têm sempre fadistas e guitarristas durante o seu horário de funcionamento.

    Este tipo de experiência é especialmente indicado para quem quer jantar e ouvir fado ao longo da noite e passar um momento mais prolongado com a família e amigos num convívio com fado e comida.

    A música é repartida por pequenas atuações e costuma ser intercalada com os vários momentos do jantar (entrada, prato principal, sobremesa, cafés e digestivos). Cada parte dura aproximadamente 20 minutos.

    É costume nas casas de fado apresentarem-se dois fadistas em cada noite: uma voz feminina e uma voz masculina.

    Existem seis casas de fado no Porto:

      1. O Fado;
      2. Fado Português;
      3. Casa da Mariquinhas;
      4. Taberna Real do Fado;
      5. Mal Cozinhado;
      6. Arcadas de S. Jorge;

    (clica em cada um delas para saberes mais)

    Restaurantes com fado

    Pode haver algumas vantagens em optar por este tipo de estabelecimento pois geralmente o preço é mais acessível, a ementa pode ser mais rica e variada e o ambiente mais descomprometido.

    Mas normalmente a qualidade da experiência de fado não costuma ser tão boa quanto numa casa de fado, uma vez que o foco do negócio é a refeição e não o fado.

    Os mais conhecidos são:

    1. Restaurante RC;
    2. Taberna do Cais das Pedras;
    3. Restaurante Luso-Brasileiro;

    3. Experiências combinadas

    No Porto, existem alguns lugares que oferecem um espetáculo de fado em conjunto com outras experiências.

    Fado, visita a caves de vinho do porto e degustação

    caves de vinho do porto

    As visitas a caves de vinho do porto são um dos principais atrativos turísticos da região. Atualmente existem dois lugares que oferecem esta experiência conjuntamente com um espetáculo de fado:

    1. Caves Calém;
    2. Caves Rozès.

    As Caves Calém oferecem um pacote turístico direcionado para massas onde a qualidade da experiência não é das melhores. A maior parte do repertório que se apresenta é “fado para turista”e o espaço não é propício para haver partilha entre os artistas e o público.

    As Caves Rozès oferecem visitas privadas com várias opções de degustação. Trata-se de uma experiência premium e personalizada com um bom espetáculo de fado intimista no final. Por isso é a única que posso recomendar.

    > Clica aqui para marcar uma visita privada às Caves Rozès com várias opções de degustação e um concerto intimista de fado.

    Fado e Folclore

    grupo de folclore

    Desde 2012 que a Herança Magna oferece um espetáculo com as duas manifestações musicais mais importantes da música tradicional portuguesa – o fado o folclore. Antes do espetáculo há um um jantar com comida tradicional, para que possas usufruir de uma experiência musical e gastronómica.

    Se procuras uma experiência de fado intimista, esta experiência não é a mais adequada.

    > Clica aqui para reservares um espetáculo de fado e folclore com ou sem jantar.

    4. Fado vadio

    fado vadio porto

    O fado vadio, mais do que um concerto, é um convívio entre pessoas que partilham uma paixão pelo fado. Funciona como um karaoke mas com guitarristas em vez de música gravada.

    A maior parte das pessoas que cantam nestes eventos não são profissionais. Por isso, se queres ouvir bons artistas deves ir a um concerto de fado ou jantar a numa casa de fado.

    Esta experiência é especialmente indicada para quem quer cantar, mesmo que seja amador. Mas também podes participar como ouvinte.

    Lugares onde poderás ouvir Fado Vadio:

    1. Grupo Dramático Monte Aventino;
    2. Taberna Alecrim;
    3. Restaurante Guitarra;
    4. Restaurante O Bronco;
    5. Petiscaria Boca Aberta;
    6. Casa Balsas;
    7. A Viela;

    Mal-entendidos sobre o fado no Porto

    O fado no Porto tem vindo a sofrer algumas considerações injustas. Por isso importa desmistificar algumas ideias erradas que se têm vindo a construir sobre a realidade do fado nesta cidade.

    No Porto quase não há fado ao vivo

    No Porto há dezenas de eventos com fado ao vivo todas as semanas. Para teres uma ideia mais exata, vê aqui todos os tipos de experiência e respetivos lugares.

    O fado no Porto é turístico e em Lisboa é autêntico

    Se achares que ser-se turístico é ter muitos turistas nos eventos ou depender dos mesmos, Lisboa e Porto estão na mesma posição.

    Repara neste antigo postal d’A Parreirinha de Alfama, uma das casas de fado mais importantes de Lisboa, onde o idioma português, o inglês e o francês coexistem.

    “A Parreirinha é uma casa mais pequena, mais típica, mais portuguesa, quer dizer, com mais portugueses. Não tem tanto turismo como tem o Pacheco. Tem uma casa grande. Mal dele se estivesse só a trabalhar com os portugueses. Até mesmo a Dona Argentina tem muitos estrangeiros. Tem grupos todos os dias. Se não fosse assim, ninguém sobrevivia. Infelizmente o português não vai ao fado. Pode ir ao fado ao fim-de-semana e as casas não podem… Nós trabalhamos todos os dias.”

    Alcindo Carvalho, Fado Falado – Um Século de Fado

    Em 1989, numa altura em que as casas de fado no Porto estavam em crise com muitas delas a fechar (havia poucos turistas no fado do Porto), Alcindo Carvalho fala sobre a grande afluência de estrangeiros nas casas de fado em Lisboa e salienta a importância que estes têm para a sobrevivência das mesmas.

    Atualmente, tanto no Porto como em Lisboa, os negócios locais de fado são maioritariamente frequentados por turistas. Mas em Lisboa, onde sempre existiu mais turismo que no Porto, o fado já é há mais tempo um dos principais atrativos turísticos. E nas últimas décadas a afluência de turistas não só contribuiu para a manutenção das casas de fado em Lisboa, mas também foi o principal fator para o nascimento de muitas mais.

    Do meu ponto de vista, mais do que olhar para o número de turistas, porque a maior parte dos clientes dos lugares de fado profissional no Porto e em Lisboa são estrangeiros, há outros aspetos mais importantes:

    – Os artistas cantam verdadeiro fado ou adaptam o repertório para os ouvidos menos experientes dos estrangeiros e interpretam “coisas mais leves” que não são fado ?

    – A qualidade dos artistas é boa e estes dão o máximo durante a sua performance ou estão “a despejar”?

    – Os clientes são tratados de uma forma acolhedora ou com indiferença?

    Acho que na hora de determinar um bom lugar, considerar estas questões é muito mais importante do que contar o número de estrangeiros vs locais.

    Os lugares de fado amador oferecem uma experiência mais autêntica

    Alguns guias turísticos acham que os lugares de fado vadio, por terem menos estrangeiros, são mais genuínos. Mas, como pude explicar, esse argumento é pouco fundamentado e há outras coisas mais importantes a ter em conta.

    Para além disso, nestes locais as condições não são melhores e também não será a ouvir artistas amadores que se vai ter uma melhor noção do que é o verdadeiro fado.

    Conclusão

    Primeiro de tudo, obrigado por teres lido este artigo maior do que o normal! Espero que te tenha ajudado a compreender melhor a complexidade do fado nesta cidade.

    Quer estejas de passagem ou mores cá, não deixes de conhecer através de um espetáculo ao vivo aquela que é a expressão musical mais importante deste país.

    Clica aqui para explorares todos os lugares com fado no Porto